ESPORTES EM NÚMEROS

NOVOS RECORDES

 

29/07/2007 - Tour: Sem charme antigo, edição termina com título de Contador

A antes prestigiada Volta da França terminou neste domingo de maneira melancólica. Entre os casos de doping e queda do número de espectadores, a Espanha foi a única que comemorou o declínio da prova mais importante do ciclismo. Com o título de Alberto Contador, o país recupera a hegemonia na competição depois de 12 anos. O ciclista Miguel Indurain foi o último a conquistar a tradicional camiseta amarela, dada ao líder da Volta da França. O espanhol levou o título cinco vezes, ficando atrás somente do heptacampeonato do norte-americano Lance Armstrong.

Contador, da equipe Discovery, conseguiu uma vantagem pequena na última etapa da competição francesa e cruzou a tradicional Avenida Champs Élysées com tempo total de 91h00min26s. O australiano Cadel Evans conquistou a segunda colocação com 23 segundos de diferença. Levi Leipheimer, dos Estados Unidos, encerrou a sua participação em terceiro, com 31 segundos de diferença do líder. Os outros vencedores do tour foram:

Maillot vert (sprinter - pontos): Tom Boonen (BEL)
Maillot
à pois (Rei da Montanha): Juan Mauricio Soler Hernandez (COL)
Maillot blanc (melhor jovem): Alberto Contador (ESP)
Equipe: Discovery Channel

O domínio dos ciclistas espanhóis na 104ª edição da Volta da França foi total. Além do título de Alberto Contador, o país ficou com outros cinco atletas entre os dez melhores classificados. A principal decepção foi Oscar Pereiro, último nome dessa lista, que não conseguiu repetir o bom desempenho que o levou ao vice-campeonato de 2006.

Único representante brasileiro na Volta da França, Murilo Fischer defendeu a equipe Liquigas e terminou no 101º lugar na classificação geral e em 15º na classificação por pontos (sprinters). O atleta nacional teve bons momentos na competição e conseguiu recuperar 54 posições na última etapa.

Mancha negra

O ciclismo passa por um momento delicado em função dos inúmeros casos de doping revelados recentemente. Apesar das iniciativas dos organizadores da Volta da França para melhorar a imagem da União Internacional do Ciclismo, os ciclistas não cooperaram e mancharam mais uma vez o nome do esporte.

O dinamarquês Michael Rasmussen liderava a prova com folga até o momento que um exame antidoping surpresa revelou a presença de substâncias proibidas em seu sangue. O atleta foi eliminado da briga pelo título francês, mas se revoltou com a decisão. “Roubaram a Volta da França de mim”, afirmou ao final da análise da contra-prova, também confirmada positiva.

Favorito à camiseta amarela antes mesmo do início das provas, Alexandre Vinokourov era a principal aposta da equipe Astana. Na 13ª etapa, o ciclista do Cazaquistão foi pego no exame antidoping, com suspeita de transfusão de sangue ilegal e também foi para casa mais cedo.

No calendário internacional do esporte desde 1903, a antiga Volta da França estuda formas de renovação. Ciente do desprestígio em função dos corredores irregulares, organizadores estudam incluir equipes francesas na próxima edição. Outra iniciativa comentada foi transformar a prova em uma espécie de Copa do Mundo, com times competindo apenas com atletas nacionais.

Veja a classificação final do Tour de France 07

Voltar